26 maio 2008

Diabetes Mellitus



DIABETES MELLITUS - é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia (aumento dos níveis de glicose no sangue), e resultam de deficiências na utilização da glicose existente no sangue como forma de energia. O problema pode dever-se a falhas na secreção de insulina, em sua acção ou ambos. Trata-se de uma doença complexa, na qual coexiste um transtorno global do metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas.


DIABETES MELLITUS TIPO 1 - normalmente inicia-se na infância ou na adolescência, e caracteriza-se por um défice de insulina, devido à destruição das células beta do pâncreas por processos auto-imunes. Só cerca de 1 em 20 pessoas diabéticas tem diabetes tipo 1, a qual se apresenta mais frequentemente entre jovens e crianças. Este tipo de diabetes conhecia-se como diabetes mellitus insulino-dependente ou diabetes infantil. Nela, o corpo produz pouca ou nenhuma insulina. As pessoas que padecem dela devem receber injecções diárias de insulina. A quantidade de injecções diárias é variável em função do tratamento escolhido pelo endocrinologista e também em função da quantidade de insulina produzida pelo pâncreas
Para controlar este tipo de diabetes é necessário o equilíbrio de três factores: a insulina, a alimentação e o exercício.


DIABETES MELLITUS TIPO 2 - já não se deve usar o termo Diabetes não Insulino-dependente, tem mecanismo fisiopatológico complexo e não completamente elucidado. Parece haver uma diminuição na resposta dos receptores de glicose presentes no tecido periférico à insulina, levando ao fenómeno de resistência à insulina. As células beta do pâncreas aumentam a produção de insulina e, ao longo dos anos, a resistência à insulina acaba por levar as células beta à exaustão. Desenvolve-se frequentemente em etapas adultas da vida e é muito frequente a associação com a obesidade; anteriormente denominada diabetes do adulto, diabetes relacionada com a obesidade, diabetes não insulino-dependente. Vários fármacos e outras causas podem, contudo, causar este tipo de diabetes.


DIABETES MELLITUS GESTACIONAL - a diabetes gestacional envolve uma combinação de secreção de insulina inadequados, assemelhando-se à diabetes tipo 2 em diversos aspectos. Ela desenvolve-se durante a gravidez e pode melhorar ou desaparecer após o nascimento do bebé. Embora possa ser temporária, a diabetes gestacional pode trazer danos à saúde do feto e/ou da mãe, e cerca de 20% – 50% das mulheres com diabetes gestacional desenvolvem diabetes tipo 2 mais tardiamente na vida.
A diabetes mellitus gestacional (DMG) ocorre em cerca de 2% – 5% de todas as gravidezes. Ela é temporária e completamente tratável mas, se não tratada, pode causar problemas com a gravidez, incluindo macrosomia (peso elevado do bebé ao nascer), malformações fetais e doença cardíaca congénita. Ela requer supervisão médica cuidadosa durante a gravidez.
Os riscos fetais associados à DMG incluem anomalias congénitas como malformações cardíacas, do sistema nervoso central e de músculos esqueléticos. A insulina fetal aumentada pode inibir a produção de surfactante fetal e pode causar problemas respiratórios.

2 comentários:

Susetyo disse...

Diabetes mellitus é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue

Anónimo disse...

OLá

Tenho uma dúvida, minha mãe tem diabete tipo 2 e, diz ela que, também tem hipoglicemia e por isso tem que comer alguma coisa a cada 3ou 4hs senão fica com tontura e fraqueza. Isso é possível? Pergunto pois entrei em uma discussão com uma amiga que disse q isso não é possível, ter diabete e hipoglicemia juntos, já que um é o posto do outro.

Aguardo sua resposta

Cynthia